Aproveite  MAIS

Conteúdos EXCLUSIVOS

  • News Exitoinf

De onde vem os santinhos políticos?

Todo mundo já recebeu um “santinho político” em época de eleições, não é mesmo? Essas pequenas propagandas, que contém o nome e o número do candidato em seu conteúdo, são utilizadas há muito tempo e podem ser encontradas em todo território nacional. Vamos contar um pouco mais da história dessa tradicional ferramenta de campanha política.

Origem

Os pequenos cartões existem há muito tempo (com exemplares mais antigos datados de 1423) e tem origem religiosa. Continham representações de cenas religiosas (inicialmente pintadas a mão e posteriormente em processo de litografia) e seu objetivo era a propagação da fé católica, promovendo a devoção de determinados santos (por isso esse nome). Era costume entregá-los em funerais, batizados, casamentos e outras datas comemorativas.

Muitos fiéis financiavam a sua impressão, pois era considerada na época, como uma forma de pagar de promessas realizadas.

Santinho Político

O santinho político (ou santinho eleitoral), é um material gráfico utilizado para divulgar um candidato em campanha eleitoral para um grande número de pessoas. Por ter valor baixo e um bom custo-benefício, é um dos materiais de promoção mais utilizados nas campanhas políticas. Vamos falar um pouco mais sobre as suas especificações:

Tamanho

Em geral, sua medida é de 70x100 mm, mas também existe outra versão, conhecida como Santão, com as dimensões de 100x140mm.

Papel e gramatura

Para a sua impressão, é utilizado papel couché, com gramatura 90, em ambas as versões.

Dicas para a criação

Agora que você já conhece um pouco mais sobre este tipo de material, vamos dar algumas dicas para criar um santinho eleitoral que possa ajudar a trazer melhores resultados:

O que é obrigatório ter?

Existe um padrão para a divulgação de um candidato. Nele precisa constar:

  • Nome do candidato

  • Número para a votação

  • Partido político que o candidato faz parte

  • Foto

Se o cargo pretendido for majoritário (como presidente, governador ou prefeito), é obrigatório que o nome do vice apareça. Além disso, é preciso constar o CPF ou CNPJ do responsável pela confecção do material, além do contratante e da tiragem.

Procure um profissional especializado

Sabe aquela velha história “meu sobrinho faz mais barato”? É melhor esquecer quando se trata desse tipo de material. Uma fonte mal utilizada ou um layout bagunçado pode comprometer a qualidade da sua mensagem e fazer com que a sua propaganda cause efeito reverso em seu público.